segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

EM BUSCA DE UM CERTO TOM ESCARLATE

“Morrer deve ser tão frio
Quanto na hora do parto”
Gilberto Gil: Aqui e Agora, in Refavela


Ainda hoje é possível vê-lo, em noites de lua cheia, com seu corpo jovem, macérrimo e naturalmente ágil, escalando a ponte metálica em perseguição, supõe-se, ao B. B. King — é perfeitamente audível Lucille executando The Other Night Blues. No princípio, socorriam-lhe bombeiros, policiais, pastores, padres... Mas simplesmente esvaía-se na escuridão. Com o tempo, deixaram-no em paz com B. B. King e Lucille.
Os amigos atribuem a sua desventura, como tem sido vulgar, a uma mulher: Carmen, colombiana e artesã, com quem seguiu rumo ao sul, queimando cannabis sativa e fazendo artes. Eu, aliás, encontrei-o em Brasília, no Moinho, e dele comprei uma xilogravura, que, ainda hoje, moldura minha sala. Aquele menino, outrora alegre, dinâmico, era triste, apático. Já não se lembrava de ninguém. Muito menos da cidade natal.
Tempos depois, soube do seu regresso. Disseram-me que estava abatido, irreconhecível. Devorava telas, que um mercador lhe dava, em busca de um certo tom escarlate. Buscou-a ao limite, incisando o pulso, encerrando a vida como uma quarta-feira de cinzas finda o carnaval por estas bandas.

3 comentários:

f.wilson disse...

Quando eu era estudante de Letras,UFPI - 1992, o professor Airton Sampaio lecionava Estilística, aí ele dizia para a turma que lia a coluna de esportes do jornal (não lembro qual, parece que um suplemento de "O Dia" a "Revista Nacional" que saía aos domingos), então ele dizia que lia a coluna do Armando Nogueira, e aí o domingo para ele estava ganho. Eu também adorava aquela coluna do Armando Nogueira, não pelo conteúdo em si (esporte) mas pelo estilo poético e humano que ele arrumava sua narrativa. Hoje não sei mais onde o Armando se encontra. Só sei que, como o Airton, eu fico esperando que o M. d Moura Filho publique o próximo texto, na "Confraria Tarântula" ou no blog "Vida Noves Fora" para ganhar o meu dia.

Eros Magnus UM GRANDE HOMEM disse...

haviaapenasumsolbonitoláfora, ou...era uma vez!

Eros Magnus UM GRANDE HOMEM disse...

com base na cronotanatognose nao há ressu...devemos tudo a medicina,